• @gardeniano

    Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.

  • posts mais recentes

  • Categorias

  • Arquivos

  • Álbum do Flickr

Bicicletada Extraordinária

Brasil

Só nesta sexta (02/03), tivemos três atropelamentos, resultando em mortes de ciclistas, no Brasil. Um na avenida paulista (Sampa), um em Riacho Fundo (DF) e outro em Marituba (região metropolitana de Belém).

Em razão dessas e tantas outras mortes que ocorrem no trânsito (seja de ciclista, pedestre, motorista, skatista…), estão sendo organizadas várias bicicletadas em várias cidades do país. Até o momento, Rio, Sampa, Brasília e Porto Alegre confirmaram, mas creio que outras cidades irão se manifestar conforme a notícia for se espalhando (atualizo o post).

Hoje (02/03), 19h, na Pça. do Ciclista, haverá um ato em decorrência do atropelamento que aconteceu na Paulista. Mas além desse ato, haverá uma bicicletada na próxima terça (06/03).

Link da Bicicletada Extraordinária Nacional no Facebookhttps://www.facebook.com/events/347944488583219/

“Na sexta-feira 02/03 morreram três ciclistas atropelados por em São Paulo, Brasília e Belém. Há menos de um mês um menino de seis anos de idade também foi atropelado e morreu em Porto Alegre.

Convocamos uma Bicicletada Nacional em solidariedade às vítimas do trânsito e pedindo mais respeito e prioridade nas políticas públicas de mobilidade.

Todas essas bicicletadas ocorrerão na próxima terça (06/03)

Aracaju (SE): 20 hs, Mirante da Treze de Julho

Belo Horizonte (MG): 19h, Praça da Estação;

Brasília (DF): 19h, Praça das Bicicletas (Museu Nacional);

Campo Grande (MS): 18h, Praça do Ciclista (rotatória da Avenida Duque de Caxias com a Afonso Pena)
http://www.facebook.com/events/282569125145597/

Caxias do Sul (RS): 19h, em frente a Prefeitura Municipal; http://www.facebook.com/events/371954129490520/

Cuiabá (MT): 20h, Praça 8 De Abri – na frente do Choppão https://www.facebook.com/events/255342117881035/

Curitiba (PR): 19h, Pátio da Reitoria (UFPR) Amintas de Barros (entre Dr. Faivre e Gen. Carneiro); https://www.facebook.com/events/188615161246812/

Florianópolis (SC): 19h, Skate Park Trindade (em frente ao Iguatemi);

Londrina (PR): 19h, ponte da Av. Higienópolis (lago 2)

Manaus (AM): 19h30, Parque dos Bilhares (lado da Constantino Nery);

Maringá (PR): 19h, Praça da Catedral;

Natal (RN): 19h, Calçadão do Midway (Av. Salgado Filho);

Ponta Grossa (PR): 19h30, no parque ambiental http://www.facebook.com/events/309611795760654

Porto Alegre (RS): 19h, Largo Zumbi dos Palmares (EPATUR);

Recife (PE): 19h, Praça do Derby https://www.facebook.com/events/325505750831153/

Rio de Janeiro (RJ): 18h30, na Cinelândia (em frente ao Cine Odeon);

Salvador (BA): 19h, Largo da Mariquita;

São Luís (MA): 19h, Praça do Rodão (Cohab).

São Paulo (SP): 19h, pça do ciclista (av. Paulista X rua da Consoloção);

Vitória (ES): 19h, na Praça dos Namorados até a Praia de Camburi

Fora do Brasil

Caracas (Venezuela): 19h, desde la Plaza Brión de Chacaíto hasta Bellas Artes.

  Outras coisas: entrevista do André Pasqualini para a CBN.

Atropelamento coletivo

Oi,

fiz um novo post no vadebici.wordpress.com , onde sou colaborador. Para não ter que repetir o mesmo post aqui, vou me limitar a disponibilizar o link:

http://vadebici.wordpress.com/2012/02/22/boliche-motorizado/

Como estou dirigindo? Como o Ricardo Neis

Rio, 04 de fevereiro de 2012.

Às vésperas de completar um ano do atropelamento em Poa (ocorrido em 25/02/2011), sou surpreendido com a notícia de um amigo, Arlindo, que levou uma “fina” de um motorista de ônibus enquanto pedalava para casa depois de sua primeira partida de bike polo. Contudo, o que me surpreende não é a “fina” em si (que fere o artigo 201 do CTB). Infelizmente, elas são frequentes – toda semana eu passo por esse tipo de situação. O que surpreende é o que o motorista fala sobre sua própria atitude.

B.O. feito pelo amigo Arlindo Pereira Jr. que levou um fino de um motorista de ônibus.

“Relata o comunicante que na madrugada do dia 03/02/2012, por volta das 02:50, estava andando de bicicleta junto com os seus amigos, pela Rua Humaitá, quando, na altura do Corpo de Bombeiros do Humaitá, um motorista, conduzindo um ônibus da linha 176, e numérica A21092, jogou o mesmo contra o comunicante, e seus amigos. Que questionado sobre o porque da atitude, o motorista, que alegou se chamar Rafael, disse ao comunicante , que seus amigos teriam sorte, pois estava trabalhando, conduzindo o ônibus, pois se estivesse no seu carro de passeio, teria jogado o comunicante e seus amigos para cima. Que em virtude de tais fatos, veio à esta UPJ, para registrar o fato.”

Difícil entender o que se passa na cabeça de uma pessoa que joga um ônibus em cima de ciclistas e ainda fala uma merda daquela. Fato é que tal pessoa não pode sair por aí conduzindo nenhum tipo de veículo, mesmo bicicleta ou skate. Meu alívio é saber que a maioria dos motoristas não age assim. Se a maioria agisse dessa forma, o número de atropelamentos e mortes de ciclistas e pedestres seria bem maior.

Sobre a fiscalização das “finas”, recomendo a leitura de:
Ainda sobre a ajuda do Ministério Público no caso da aplicação do artigo 201 do Código de Trânsito Brasileiro – aquele que evita(ria) as “finas educativas” contra ciclistas” – Blog Na Bike

Ônibus invade ciclofaixa durante Bicicletada em Curitiba” – Blog Ir e Vir de Bike

Lei do Bicicletário (Rio)

Rio, 16 de janeiro de 2012.

Está em vigor no município do Rio de Janeiro a Lei nº 77 de 28 de abril de 2005, que regula e estabelece obrigatoriedade da construção de bicicletários em shoppings e supermercados. A lei visa não somente atender uma demanda de ciclistas (clientes e funcionários), mas também incentivar aqueles que não costumam utilizar a bicicleta como meio de transporte.

Numa cidade onde o número de bicicletários construídos pela Prefeitura está longe do satisfatório, estacionar a bicicleta em um shopping ou supermercado pode ser uma solução interessante.

Apesar de antiga, a lei é bastante desconhecida e, em alguns casos, ignorada pelos estabelecimentos comerciais. Eis alguns casos:

Shopping Via Parque – Segundo a administração, eles possuem um bicicletário (no espaço destinado a motos). Contudo, não foi isso o que constatei. Aqui é um belo exemplo de administradores que não conhecem a diferença entre bicicletário e lugar onde deixam prender uma bicicleta. A grade do espaço é totalmente inadequada para usar a corrente/cadeado. Além disso, o compartilhamento do espaço com as motos e a disposição das bicicletas (por conta da falta do equipamento adequado) reduzem o número de vagas dos ciclistas. Além de enviar um email para a administração do shopping, fui ao espaço do cliente por duas vezes e nas duas ocasiões os funcionários disseram que iriam repassar o problema aos administradores. Não deram nenhum tipo de prazo e até agora não obtive nenhuma resposta.

Avenida Ayrton Senna, 3000 – Barra da Tijuca  –  espacocliente@viaparqueshopping.com.br

Shopping Rio Design Barra – Assim como o Via Parque, possuem um espaço destinado à motos onde o ciclista pode prender sua bicicleta. Não contam com o equipamento adequado. Procurei a administração do shopping e os funcionários foram bastante solícitos. Chegaram a me acompanhar até o espaço das motos onde pude explicar para eles o problema. Tiraram foto e ficaram de repassar a questão para a administração. Além disso, me pediram que eu enviassem um email com o link da lei para que pudessem ter um respaldo legal junto à administração.

Avenida das Américas, 7777 – Barra da Tijuca  –  concierge.riodesignbarra@riodesign.com.br

Center Shopping Rio – Não possui bicicletário, nem é possível prender a bicicleta no espaço das motos. O funcionário do estacionamento me orientou prender a bicicleta do lado de fora do shopping, perto da cabine da polícia (!!!!!!). Fui muito bem atendido na administração. Escrevi a carta de sugestão e me informaram que terei uma resposta num prazo de 7 dias. Ao contrário do Via Parque, a administração do Center Shopping, não só protocolou minha reclamação, como me forneceu uma cópia com assinatura de recebimento e estabeleceu um prazo para analisar o caso. Assim que obtiver a resposta, eu posto aqui.

Atualização (24/01): Por telefone, fui informado pelo SAC que a construção de um bicicletário está nos planos do Center Shopping Rio. Contudo, não forneceram um prazo para essa construção.

Avenida Geremário Dantas,  404 – Jacarepaguá  –  http://www.centershoppingrio.com.br/faleconosco/faleconosco.asp

Supermercado Assaí Freguesia  – Não possui bicicletário. Relatei o problema num bilhete, pois o gerente e o sub-gerente estavam ocupados. Sabe lá quando terei resposta disso.

Estrada de Jacarepaguá, 7753 – Freguesia (JPA)  –  http://www.assaiatacadista.com.br/faleconosco.php  –  É necessário fornecer CPF para enviar mensagem a eles. Eu, hein!

Este slideshow necessita de JavaScript.

Observei a ausência de bicicletários na medida que tinha que fazer alguma coisa nesses lugares.  Caso você encontre algum shopping ou supermercado que descumpre a lei, poste uma foto e email da administração nos comentários e denuncie na Secretaria Municipal de Urbanismo (http://www21.rio.rj.gov.br/siso/internet/frmcadastro.cfm  – em assunto selecione “obras particulares”) e na sub-prefeitura do seu bairro. Telefones da ouvidoria da SMU: 22934590/29762771/29762772

Projeto de Lei 1560/2011

Poa, 24 de junho de 2011.

No último dia 09,  o deputado federal Jesus Rodrigues (PT/PI) apresentou o projeto de lei 1560/2011 que prevê uma mudança na Lei nº 9.503, de 23 de setembro de 1997, que institui o Código de Trânsito Brasileiro. A mudança consiste na inclusão do artigo 280-A à lei 9.503.

“Art. 280-A. As infrações de trânsito previstas nos incisos VIII e IX do artigo 181 poderão ser comunicadas pelo prejudicado ao órgão ou entidade executiva de trânsito responsável pelo licenciamento do veículo, por escrito, mediante a apresentação de qualquer meio legal de prova, com a identificação do local, data e hora do cometimento da infração, caracteres da placa de identificação do veículo, sua marca e espécie, para o procedimento previsto no art. 280”
 

A inclusão, se aprovada, garante que o pedestre (ou ciclista) possa comunicar, por escrito, a infração ao órgão competente. Cabe ressaltar que, como a comunicação será realizada pelo prejudicado, será necessário apresentar a prova da infração (foto ou vídeo). A mudança parece ser interessante, mas o artigo 280-A contempla apenas os incisos VIII e IX do artigo 181, destacados abaixo:

“Art. 181. Estacionar o veículo:
VIII – no passeio ou sobre faixa destinada a pedestre, sobre ciclovia ou ciclofaixa, bem como nas ilhas, refúgios, ao lado ou sobre canteiros centrais, divisores de pista de rolamento, marcas de canalização, gramados ou jardim público:
Infração – grave;
Penalidade – multa;
Medida administrativa – remoção veículo;
IX – onde houver guia de calçada (meio-fio) destinada à entrada ou saída de veículos:
Infração – média;
Penalidade – multa;
Medida administrativa – remoção do veículo”
 

Outros incisos (e mesmo outros artigos), tais como o XI (estacionar “ao lado de outro veículo em fila dupla“) e o XII (estacionar “na área de cruzamento de vias, prejudicando a circulação de veículos e pedestres“) ficaram de fora do PL 1560/2011.

Enviei um email ao deputado para saber o motivo da não-inclusão de outros artigos e incisos. Assim que obtiver uma resposta, posto aqui. Clique aqui para falar com o deputado.

Bem, fico na torcida para que os agentes de trânsito não usem a mudança da lei para se isentarem (mais do que já se isentam) de fiscalizar as infrações. Para encerrar posto dois vídeos:  “Massa Apocalíptica” (de Helton Moraes), que mostra de forma irônica como as pessoas estacionam de forma irregular, e “Desrespeito de motoristas contra ciclistas no acostamento do Lago Sul – Brasília – DF – Brasil”, que mostra motoristas (entre eles, um policial militar) transitando na ciclofaixa em Brasília.