• @gardeniano

    Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.

  • posts mais recentes

  • Categorias

  • Arquivos

  • Álbum do Flickr

    IMG_20150404_114341

    IMG_20150404_114347

    IMG_20150404_114349

    Mais fotos

Atropelamento coletivo

Oi,

fiz um novo post no vadebici.wordpress.com , onde sou colaborador. Para não ter que repetir o mesmo post aqui, vou me limitar a disponibilizar o link:

http://vadebici.wordpress.com/2012/02/22/boliche-motorizado/

Como estou dirigindo? Como o Ricardo Neis

Rio, 04 de fevereiro de 2012.

Às vésperas de completar um ano do atropelamento em Poa (ocorrido em 25/02/2011), sou surpreendido com a notícia de um amigo, Arlindo, que levou uma “fina” de um motorista de ônibus enquanto pedalava para casa depois de sua primeira partida de bike polo. Contudo, o que me surpreende não é a “fina” em si (que fere o artigo 201 do CTB). Infelizmente, elas são frequentes – toda semana eu passo por esse tipo de situação. O que surpreende é o que o motorista fala sobre sua própria atitude.

B.O. feito pelo amigo Arlindo Pereira Jr. que levou um fino de um motorista de ônibus.

“Relata o comunicante que na madrugada do dia 03/02/2012, por volta das 02:50, estava andando de bicicleta junto com os seus amigos, pela Rua Humaitá, quando, na altura do Corpo de Bombeiros do Humaitá, um motorista, conduzindo um ônibus da linha 176, e numérica A21092, jogou o mesmo contra o comunicante, e seus amigos. Que questionado sobre o porque da atitude, o motorista, que alegou se chamar Rafael, disse ao comunicante , que seus amigos teriam sorte, pois estava trabalhando, conduzindo o ônibus, pois se estivesse no seu carro de passeio, teria jogado o comunicante e seus amigos para cima. Que em virtude de tais fatos, veio à esta UPJ, para registrar o fato.”

Difícil entender o que se passa na cabeça de uma pessoa que joga um ônibus em cima de ciclistas e ainda fala uma merda daquela. Fato é que tal pessoa não pode sair por aí conduzindo nenhum tipo de veículo, mesmo bicicleta ou skate. Meu alívio é saber que a maioria dos motoristas não age assim. Se a maioria agisse dessa forma, o número de atropelamentos e mortes de ciclistas e pedestres seria bem maior.

Sobre a fiscalização das “finas”, recomendo a leitura de:
Ainda sobre a ajuda do Ministério Público no caso da aplicação do artigo 201 do Código de Trânsito Brasileiro – aquele que evita(ria) as “finas educativas” contra ciclistas” – Blog Na Bike

Ônibus invade ciclofaixa durante Bicicletada em Curitiba” – Blog Ir e Vir de Bike

Projeto de Lei 1560/2011

Poa, 24 de junho de 2011.

No último dia 09,  o deputado federal Jesus Rodrigues (PT/PI) apresentou o projeto de lei 1560/2011 que prevê uma mudança na Lei nº 9.503, de 23 de setembro de 1997, que institui o Código de Trânsito Brasileiro. A mudança consiste na inclusão do artigo 280-A à lei 9.503.

“Art. 280-A. As infrações de trânsito previstas nos incisos VIII e IX do artigo 181 poderão ser comunicadas pelo prejudicado ao órgão ou entidade executiva de trânsito responsável pelo licenciamento do veículo, por escrito, mediante a apresentação de qualquer meio legal de prova, com a identificação do local, data e hora do cometimento da infração, caracteres da placa de identificação do veículo, sua marca e espécie, para o procedimento previsto no art. 280”
 

A inclusão, se aprovada, garante que o pedestre (ou ciclista) possa comunicar, por escrito, a infração ao órgão competente. Cabe ressaltar que, como a comunicação será realizada pelo prejudicado, será necessário apresentar a prova da infração (foto ou vídeo). A mudança parece ser interessante, mas o artigo 280-A contempla apenas os incisos VIII e IX do artigo 181, destacados abaixo:

“Art. 181. Estacionar o veículo:
VIII – no passeio ou sobre faixa destinada a pedestre, sobre ciclovia ou ciclofaixa, bem como nas ilhas, refúgios, ao lado ou sobre canteiros centrais, divisores de pista de rolamento, marcas de canalização, gramados ou jardim público:
Infração – grave;
Penalidade – multa;
Medida administrativa – remoção veículo;
IX – onde houver guia de calçada (meio-fio) destinada à entrada ou saída de veículos:
Infração – média;
Penalidade – multa;
Medida administrativa – remoção do veículo”
 

Outros incisos (e mesmo outros artigos), tais como o XI (estacionar “ao lado de outro veículo em fila dupla“) e o XII (estacionar “na área de cruzamento de vias, prejudicando a circulação de veículos e pedestres“) ficaram de fora do PL 1560/2011.

Enviei um email ao deputado para saber o motivo da não-inclusão de outros artigos e incisos. Assim que obtiver uma resposta, posto aqui. Clique aqui para falar com o deputado.

Bem, fico na torcida para que os agentes de trânsito não usem a mudança da lei para se isentarem (mais do que já se isentam) de fiscalizar as infrações. Para encerrar posto dois vídeos:  “Massa Apocalíptica” (de Helton Moraes), que mostra de forma irônica como as pessoas estacionam de forma irregular, e “Desrespeito de motoristas contra ciclistas no acostamento do Lago Sul – Brasília – DF – Brasil”, que mostra motoristas (entre eles, um policial militar) transitando na ciclofaixa em Brasília.